A minha empresa faz Investigação e Desenvolvimento?

Existem vários incentivos fiscais e financeiros que visam apoiar as empresas que realizem atividades de investigação e desenvolvimento, no entanto o seu enquadramento nem sempre é claro, pelo que é importante desmistificar este conceito.

Interessa então perceber o que compreendem as despesas com investigação e desenvolvimento, sendo que aconselhamos a aplicação de três critérios básicos para a sua identificação:

  1. Existência de um elemento apreciável de novidade
  2. Resolução de uma incerteza científica e/ou tecnológica
  3. Necessidade de realização de um processo iterativo de tentativa e erro até se chegar ao resultado esperado

Em suma, a I&D aparece quando a resolução de um problema não é evidente para alguém que tenha o conjunto básico de conhecimentos da área e conheça as técnicas habitualmente utilizadas nesse sector.

A I&D pode ser desenvolvida em diferentes fases do processo de inovação, não sendo utilizada apenas enquanto fonte de ideias criativas, mas também para resolver os problemas que podem surgir em qualquer fase até a sua implementação.

O seu caráter transversal e aplicação em todas as fases do ciclo de criação de valor da empresas dificulta a sua identificação. A utilização das métricas corretas pode ser essencial para distinguir a I&D de outras atividades conexas, igualmente enquadradas em Inovação, mas sem cumprem os requisitos necessárias para serem consideradas investigação e desenvolvimento.

O próprio exercício de catalogação das atividades de I&D pode ser infrutífero na medida em que diferentes enquadramentos podem resultar em concussões amplamente distintas. A título de exemplo, refira-se o desenvolvimento de protótipos. Normalmente associado a atividades de I&D, quando o processo produtivo define a soldadura automática como método a utilizar, o processo de otimização do equipamento de soldadura para conseguir a eficácia e velocidade de produção máxima não se deve considerar como I&D.

Na HM Consultores, estamos dotados de uma larga experiência na identificação e mensuração de atividades de I&D, proporcionando um diagnóstico acurado e exaustivo, que facilita a captação de incentivos específicos para estas atividades.

O SIFIDE trata-se de um sistema de incentivos fiscais que possibilita às empresas deduzirem à sua coleta parte do valor associado a despesas de investigação e desenvolvimento (I&D), sendo que no caso de as mesmas já terem sido objeto de comparticipação financeira do Estado a fundo perdido será considerada a parte remanescente.

Contacte-nos!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *